Festa de Jesus Mestre e votos dos Amigos do Divino Mestre

A festa de Jesus Mestre no último Domingo de outubro de 2018 foi um marco na história das Pias Discípulas do Divino Mestre no Brasil. Além de reunir a Família Paulina que celebra o centro e fundamento da espiritualidade paulina dada pelo fundador, Pe. Tiago Alberione, os primeiros cooperadores paulinos das Pias Discípulas fizeram os seus primeiros votos.

Os Amigos do Divino Mestre é o nome dado para os Cooperadores Paulinos ligados às Pias Discípulas. São leigos e leigas que colaboram e assumem em viver, de acordo com seu estado de vida, os valores e espiritualidade da instituição que estão ligados, no caso, as Pias Discípulas. Amigos do Divino Mestre que moram em Manaus, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife assumiram com os votos de viverem a espiritualidade paulina e cooperarem na missão de viver e anunciar Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, com o carisma específico das Pias Discípulas.

Bendizemos a Deus que continua a chamar pessoas para manter vivo o carisma paulino.

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA

Na segunda quinzena de outubro de 1717, no Rio Paraíba, onde mais tarde recebeu o nome de Aparecida, três pescadores, Filipe Pedroso, Domingos Garcia e João Alves, tentavam pescar a noite toda e nada conseguiam. Mas era uma ordem, um decreto: o Conde de Assumar ia passar por ali e queria experimentar os peixes do Rio Paraíba, que na língua indígena significa, “rio ruim de peixes” e numa época ruim de peixes, mas continuavam tentando porque acreditavam em Deus e, de repente, ao lançarem sua rede para pescar, colheram o corpo de uma imagem. “Vejam é um santo! Mas que santo é? Está sem a cabeça.” Enquanto tentavam descobrir, a barca foi descendo. Cerca de 100 metros para baixo, resolvem lançar a rede novamente e, mesmo sendo um grande rio, colhem a cabecinha da imagem e colocando ao seu corpo, reconhecem: “É a Imaculada Conceição!” Eles que confiavam tanto em Nossa Senhora, decidem lançar as redes novamente. E estas saem abarrotadas de peixes.

O Milagre da Pescaria se repete. Quando tinha acontecido antes? Na ressurreição de Jesus, quando os apóstolos desanimados pela sua morte, tinham voltado às antigas atividades e, após tentar pescar a noite toda, quando chegam à beira do lago, veem um moço, que a princípio não reconhecem que era o Cristo Ressuscitado. E Jesus pede que lancem as redes para o outro lado da barca no mais profundo e, lançando, saem abarrotadas de peixes. Essa semelhança nos mostra que este milagre acontecido nas águas do Rio Paraíba foi um milagre realizado lá no céu por Cristo Ressuscitado, a pedido de sua mãe, Nossa Senhora. Por isso, no encontro da imagem de Nossa Senhora. Desta forma percebemos que Nossa Senhora continua atenta aos nossos apuros, como foi nas bodas de Caná. Continua intercedendo à Jesus por nós e Jesus continua sendo um bom filho e atendendo ao pedido da mãe. Nisso vemos a força que tem a intercessão de Nossa Senhora. Nas bodas de Caná, Jesus até antecipa o momento de realizar o seu primeiro milagre e nas águas do Rio Paraíba, vemos que continua atendendo a intercessão de sua mãe. Nestes acontecimentos, Maria também nos ensina a estarmos sempre atentos às necessidades de nossos irmãos e, sem esperar que nos peçam, gratuitamente, sem esperar nada em troca, oferecermos a nossa ajuda, o nosso socorro.

A imagem de Nossa Senhora aparecida no Rio Paraíba é uma imagem de negra cor e é encontrada na época da escravidão dos negros. Assim, vemos Nossa Senhora confirmando a mensagem de Jesus, que pede o fim da escravidão, o fim de qualquer preconceito, de qualquer discriminação, de qualquer marginalização, de qualquer opressão. Quer sejamos brancos ou negros, sulinos ou nordestinos, católicos ou protestantes, homem ou mulher, somos todos iguais, filhos do mesmo Pai.

Esta imagem encontrada no Rio Paraíba, não é uma imagem caída do céu, mas é uma imagem feita de barro paulista, portanto feita por pessoas humanas. Ou seja, até aquele momento, não tinha nada de especial naquela imagem. Era apenas uma imagem quebrada e jogada no rio. A partir daquele momento Deus quis usar daquele singelo sinal para ser um grande sinal, reunindo todos os anos milhões de pessoas em Aparecida e em diversas igrejas que a tem como padroeira, ajudando a estas pessoas a se aproximarem mais de Deus, passarem pelo sacramento da Reconciliação e se fortalecerem na sua fé.

A imagem encontrada no Rio Paraíba, não foi encontrada com coroa e nem com o manto azul, mas com o seu manto que já faz parte da própria imagem. E olhando ela assim, sem o manto azul e de perfil, dá para perceber que é uma imagem de Nossa Senhora levemente grávida, ou seja, no inicio de uma gravidez. Portanto Nossa Senhora que nos traz Jesus no seu ventre. Maria continua nos apontando a Jesus e pedindo que façamos tudo o que ele nos disser. Maria é a ponte que nos conduz a Jesus e nos ajuda a sermos verdadeiros cristãos. Portanto nós como verdadeiros católicos, não precisamos de falsas pontes que dizem ser o caminho seguro para o cristianismo, mas nos conduzem para a construção do ódio, da violência, do desejo de atirar e matar a outros irmãos, ou seja, nos conduzem para o caminho oposto ao de Jesus, nos conduzem para o precipício, para a morte, para o inferno. Maria nos mostra sempre o caminho de Jesus que ensina com a Palavra e com o Testemunho que a construção da Vida Eterna passa pela prática da humildade, do amor e do perdão. No alto da cruz, Jesus é capaz de pedir a Deus que perdoe seus malfeitores e ali mesmo, diante do pedido de Dimas que era um dos ladrões que estava crucificado ao seu lado, Jesus garante a ele que naquele mesmo dia estaria com Ele no Paraíso. Aí temos o primeiro santo canonizado pelo próprio Jesus e que era um pecador, um ladrão. Aí percebemos o quanto é grande a misericórdia de Deus por nós. E Maria é a nossa mãe de misericórdia.

Após aquela pescaria, a imagem encontrada ficou 15 anos na casa do Filipe Pedroso e depois ele passou para seu filho Atanásio Pedroso que construiu um pequeno oratório onde a vizinhança se reunia todos os sábados para rezar. Onze anos depois, com a ocorrência de milagres e a divulgação da devoção à Nossa Senhora Aparecida, como começou a ser chamada pelo povo, foi inaugurado a primeira Capela. Como esta, com o passar dos anos, não comportasse mais o número de devotos, iniciou-se 97 anos depois a construção de um novo templo que foi inaugurado em 1888 e alguns anos depois foi elevado à dignidade de “Episcopal Santuário de Nossa Senhora Aparecida”. Em 1904, por ordem do Papa Pio X, a imagem foi solenemente coroada e em 1908 foi concedido ao santuário o título de Basílica Menor. Em 1930 o Papa Pio XI declarou e proclamou Nossa Senhora Aparecida Padroeira do Brasil “para promover o bem espiritual dos fiéis e aumentar cada vez mais a devoção à Imaculada Mãe de Deus”. Assim ela recebe o manto azul que tem a bandeira do Brasil e também a bandeira do Vaticano, mostrando que Nossa Senhora é a mãe da Igreja e é a padroeira do Brasil. Em 1967, o Papa Paulo VI homenageou Nossa Senhora Aparecida com uma “Rosa de Ouro”. Em 1952 iniciou-se a construção da nova Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida, solenemente dedicada pelo Papa João Paulo II em 1980.

Outro detalhe na imagem de Nossa Senhora Aparecida, são as suas mãos postas, em oração. Ela nos ensina que devemos rezar sempre. Em 1978 quando a imagem ainda ficava na Antiga Basílica, um louco protestante aproximou onde a imagem estava, quebrou o vidro e quando os guardas se aproximaram, jogou-a com força no chão e ela se quebrou em um montão de pedacinhos, sendo depois toda restaurada. Mas um fato chamou a atenção nesse acontecimento: mesmo a imagem tendo se quebrada por inteiro, as suas mãozinhas postas, mesmo minúsculas, não se quebraram. Deus também quis nos falar nesse acontecimento: Aconteça o que acontecer em nossa vida, pode quebrar tudo, podemos perder tudo o que tivermos, até mesmo toda família, jamais devemos perder a nossa fé. E Maria nos dá esse testemunho: mesmo vendo seu único filho morrer pregado na cruz, ela não perdeu a fé. Pelo contrário, ela e outras mulheres foram quem reuniram novamente os apóstolos que já tinham perdido as esperanças na ressurreição. Assim, Nossa Senhora nos ajuda a entender que o nosso único caminho de salvação é o caminho de Jesus. Ele é o verdadeiro messias, o nosso Salvador. Que a nossa Segurança e a nossa Força estejam sempre em Jesus. E confiando unicamente na sua Palavra, sigamos o seu exemplo e sejamos também nós defensores da vida e construtores do Reino de Deus na prática do amor fraterno. Que Nossa Senhora Aparecida interceda a Jesus por cada um de nós e especialmente pelo nosso Brasil, para que sejamos um povo mais irmão, fraterno e justo e fiel no seguimento à Jesus! Amém!

Pe. Luiz Carlos Treider CSsR

Missionário Redentorista

São João da Boa Vista – SP

 

Apostolado Litúrgico lança o site

O site Apostolado Litúrgico lançou seu novo site. Desde 2013, a loja online seguia o mesmo layout e proposta de e-commerce. Neste ano de 2018, a renovação foi total na proposta visual e também como comunicação.

Apesar de usar o mesmo domínio, apostoladoliturgico.com.br, o site do Apostolado Litúrgico agora faz parte de um novo conceito de portal. Ele está dentro do pddm.org.br que reúne todas as formas apostólicas das Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre.

O site está com algumas novidades e possibilidades já comuns, mas que com a plataforma anterior não era possível. O site do Apostolado Litúrgico está com uma promoção de lançamento até 10 de novembro de 2018: todo o site com 15% de desconto. Para conseguir o desconto, é obrigatório o cadastramento no site. Alem disto, há camisas com 30% de desconto. Os descontos não são cumulativos e são válidos somente no site.

 

 

Junioristas Pias Discípulas: itinerário formativo

As irmãs junioristas Pias Discípulas que estão para fazer os votos perpétuos no próximo ano estão reunidas em Roma para um trimestre de formação espiritual. Aqui do Brasil estão as irmãs Danielle e Selma. São irmãs de 8 nações reunidas para partilhar a vida e aprofundar no conhecimento do carisma e missão das Pias Discípulas.

No processo de redesenho da presença da Congregação no mundo, este projeto pode ser uma forma dos novos rostos conhecerem as diversas realidades e culturas. Esta semana está marcada pelo retorno às fontes. As jovens irmãs visitam os lugares onde o Bem Aventurado Tiago Alberione e sua numerosa Família Paulina iniciaram esta resposta de amor ao chamado do Mestre Divino, Caminho, Verdade e Vida.

Renovamos a comunhão com as jovens junioristas.

O livro da Sabedoria

Acima uma reflexão sobre o livro da Sabedoria, livro da Justiça e Teologia Política com a ir. Tea Frigério, do CEBI. Esta entrevista feita pelo Frei Gilvander, no dia 19 de agosto de 2018. Colabora na compreensão do livro da Sabedoria a partir da vida do povo.

Livro da Sabedoria – O conhecimento de Deus. Luiz José Dietrich em entrevista a frei Gilvander. 19/8/2018.
Com o Concílio Vaticano II houve uma grande valorização da Bíblia, com o Documento DEI VERBUM (Palavra de Deus). O Concílio, além de pedir à Igreja que colocasse a Bíblia no centro de todas as suas ações, sugeriu ainda que a Bíblia voltasse para as mãos do povo e, assim, a Bíblia foi encontrando novamente seu espaço no centro das comunidades. Portanto, foi desse movimento gerado a partir do Concílio Vaticano II, que nasceu o Mês da Bíblia.
A primeira celebração do Mês da Bíblia no Brasil aconteceu em 1971, em Belo Horizonte, por ocasião do cinquentenário da Arquidiocese de Belo Horizonte. E essa celebração foi levada adiante com a colaboração efetiva do Serviço de Animação Bíblica – SAB. O mês de setembro foi escolhido pelo fato de que no dia 30 de setembro a Igreja celebra São Jerônimo, grande estudioso da Bíblia e tradutor da Bíblia para o latim, a Vulgata.
Cada ano, o Mês da Bíblia é marcado por um tema que convida à leitura, ao estudo e à reflexão de um livro bíblico. Nesse ano de 2018, o Mês da Bíblia nos convida a conhecer melhor o Livro da Sabedoria e tem como tema: “Para que n’Ele nossos povos tenham vida”; e com o lema: “A Sabedoria é um espírito amigo do ser humano” (Sb 1,6).
Nesse vídeo, frei Gilvander Moreira, da CPT, das CEBs e biblista do CEBI, entrevista Luiz José Dietrich, também biblista do CEBI, que nos ajuda a compreender melhor o Livro da Sabedoria, especificamente no que está registrado nos capítulos 13, 14 e 15, que falam sobre “O Conhecimento de Deus”. Uma abordagem contundente que merece e deve ser acompanhada com atenção para que possamos nos conscientizar melhor do que seja verdadeiramente conhecer Deus, seguir Jesus de Nazaré e no que implica, de fato, esse seguimento.
*Edição de Nádia Oliveira, da Equipe de Comunicação da CPT-MG. Brasília, DF, 19/8/2018.
* Inscreva-se no You Tube, no Canal Frei Gilvander Luta pela Terra e por Direitos, no link: https://www.youtube.com/user/fgilvander, acione o sininho, receba as notificações de envio de vídeos e assista a diversos vídeos de luta por direitos sociais. Se assistir e gostar, compartilhe. Sugerimos. #FreiGilvander

Propostas de leitura para aprofundamento do livro da Sabedoria

Neste mês da bíblia, as comunidades são convidadas a celebrar e refletir o livro da Sabedoria. Tanto a CNBB quanto a Editora Paulinas com o CEBI lançaram um livro que ajuda no aprofundamento do bíblico comunitário.

Abaixo os links das duas propostas:

Livro para aprofundamento Bíblico Paulinas

Subsídios para profundamento Bíblico CNBB

A temática deste ano é “Para que n’Ele nossos povos tenham vida – A sabedoria é um espírito amigo do ser humano”. Ou seja, a Sabedoria é uma expressão da amizade de Deus por nós, seres humanos. Este livro nos ajudará no aprofundamento da Sabedoria.

Segundo o texto base que auxilia na leitura e estudo da primeira parte literária do Livro da Sabedoria (Sb 1, 1-6,21), o objetivo principal da motivação deste estudo é uma adequada compreensão do texto de forma comunitária e individual.

Por ser um livro pouco conhecido e pouco lido, além de estar ausente na Bíblia dos protestantes, o estudo individual e comunitário auxiliará na visão mais completa do livro e, por conseguinte, ajudará na melhor compreensão da sua mensagem.

Outro livro que pode ajudar no processo de estudo é do Frei Carlos Mesters e Franciso Orofino. O valor é super em conta: apenas R$ 3,80 e a linguagem é fácil, clara e objetiva. Ele traz uma explicação da deste bramo proposto para este mês da Bíblia. Abaixo o link para compra.

A Sabedoria de Deus: A ação divina em defesa da vida

 

ENCERRAMENTO DO CENTENÁRIO DOS COOPERADORES PAULINOS NO BRASIL

Ir. Helena Corazza, fsp

 

À luz da temática “Despertai o mundo com a luz do Evangelho” os Cooperadores da Família Paulina no Brasil concluíram o Centenário com uma Romaria ao Santuário de Aparecida (SP), no dia 30 de junho de 2018, com momentos de reflexão, testemunho e partilha. Ao final, foi feito o envio e bênção com a entrega do Santo Evangelho para cada um.

Uma Romaria ao Santuário Nacional de Aparecida, com 550 participantes, membros da Família Paulina, familiares, marcou o encerramento do Centenário no Cooperadores Paulinos do Brasil como Família Paulina. A programação foi organizada em conjunto por Irmãs e Cooperadores das Congregações que mantêm grupos como Paulinas, Discípulas do Divino Mestre e Pastorinhas das Províncias de São Paulo e do Sul, com uma missa, pela manhã, e uma tarde de reflexão e partilha.

A abertura do Ano Centenário – para os grupos de São Paulo – aconteceu no Santuário São Judas Tadeu, em São Paulo, nesta mesma data, presidida pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese e Vigário Episcopal para a Comunicação, Dom Devair Araújo da Fonseca.

Abertura do Centenário em São Paulo – Família Paulina

Na Província do Sul também aconteceu nas diversas regiões com Celebração Eucarística e uma em Caxias do Sul, com todos os grupos da região sul, seguida de uma programação de partilhas de experiências dos grupos, momentos de lazer e um delicioso almoço servido para todos.

Abertura do Centenário em Caxias do sul – Família Paulina.

Na celebração eucarística presidida pelo Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, os Cooperadores participaram da procissão de entrada levando símbolos do Centenário, como um banner com o lema: “Despertai o mundo com a luz do Evangelho” e o banner do Bem-aventurado Tiago Alberione, fundador da Associação. Acompanhou também as imagens dos Apóstolos Pedro e Paulo e a lamparina de 10 chamas.

Despertai o mundo com a luz do Evangelho e Bem-aventurado Pe. Tiago Alberione
São Pedro e São Paulo – Lâmpada das 10 chamas
Dom Orlando Brandes – Arcebispo de Aparecida

O Arcebispo destacou, em sua homilia, a missão evangelizadora da Família Paulina no espírito do Apóstolo Paulo, bem como a coincidência do Ano Centenário da Associação dos Cooperadores Paulinos com o Ano do Laicato para a Igreja do Brasil. Ele exaltou a importância do Apóstolo e foi enfático em afirmar: “Quem quer conhecer Jesus leia uma carta de São Paulo”. Dom Orlando exortou a vivermos o espírito do Apóstolo São Paulo hoje como “Igreja em saída”. Saída de nossas casas para visitar as pessoas e famílias como fez Jesus.

Tarde de reflexão – celebração

Organizada por uma comissão do Centenário formada por Cooperadores, Cooperadoras e Irmãs responsáveis de cada Congregação, a equipe de coordenação deu as boas-vindas aos participantes, destacando este momento de alegria, festa e celebração, neste Ano do Laicato, exortando a terem um coração ardente como o do Apóstolo Paulo. Ir. Ninfa Becker, fsp; Ir. Soeli T. Branco, sjbp; Irmã Vera M. Galvan, pddm; Ir. Elisabete Martins, ijbp). 

A coordenação do encontro ficou a cargo de Neusa Alves – “Cooperadores Paulinos para o Evangelho” (CPPE – Paulinas); Maria Ivete Ursulina Santos – “Amigos do Divino Mestre” (Discípulas); e Arnaldo Poletto – “Amigos de Jesus Bom Pastor” (Pastorinhas).

Na saudação aos participantes, as Provinciais reafirmaram o sentido da celebração de um Centenário. Irmã Maria Antonieta Bruscato, FSP, destacou o “tesouro” que são os Cooperadores na grande árvore da Família Paulina com todas as cores do mundo. Leigos com sabor de futuro, capazes de sonhar, lembrando que devemos “fazer a todos a caridade da verdade”. Irmã Marilez Furlanetto, DDM, ressaltou que Alberione se deixou tocar pela espiritualidade missionária de Paulo. Deixou-se seduzir pelo Senhor e pelo chamado que é dom do Espírito. Irmã Bertila Picelli, SJBP, representou a Irmã Maria de Fatima Piai, em viagem pelo Gabão, e transmitiu a sua saudação lembrando que celebrar 100 anos é gratificante e exortou a entrar no coração de Alberione e crescer na experiência paulina. Irmã Adriana Cortelini, SJBP, lembrou o Fundador ao dizer que a Associação começou no dia dos Apóstolos Pedro e Paulo, portadores de Cristo, que trazem muitas virtudes, o espírito pastoral. Lembrou o Ano do Laicato e as palavras do Papa Francisco: não apagar o fogo profético e o lema “Despertai o mundo com a l