Junioristas Pias Discípulas: itinerário formativo

As irmãs junioristas Pias Discípulas que estão para fazer os votos perpétuos no próximo ano estão reunidas em Roma para um trimestre de formação espiritual. Aqui do Brasil estão as irmãs Danielle e Selma. São irmãs de 8 nações reunidas para partilhar a vida e aprofundar no conhecimento do carisma e missão das Pias Discípulas.

No processo de redesenho da presença da Congregação no mundo, este projeto pode ser uma forma dos novos rostos conhecerem as diversas realidades e culturas. Esta semana está marcada pelo retorno às fontes. As jovens irmãs visitam os lugares onde o Bem Aventurado Tiago Alberione e sua numerosa Família Paulina iniciaram esta resposta de amor ao chamado do Mestre Divino, Caminho, Verdade e Vida.

Renovamos a comunhão com as jovens junioristas.

O livro da Sabedoria

Acima uma reflexão sobre o livro da Sabedoria, livro da Justiça e Teologia Política com a ir. Tea Frigério, do CEBI. Esta entrevista feita pelo Frei Gilvander, no dia 19 de agosto de 2018. Colabora na compreensão do livro da Sabedoria a partir da vida do povo.

Livro da Sabedoria – O conhecimento de Deus. Luiz José Dietrich em entrevista a frei Gilvander. 19/8/2018.
Com o Concílio Vaticano II houve uma grande valorização da Bíblia, com o Documento DEI VERBUM (Palavra de Deus). O Concílio, além de pedir à Igreja que colocasse a Bíblia no centro de todas as suas ações, sugeriu ainda que a Bíblia voltasse para as mãos do povo e, assim, a Bíblia foi encontrando novamente seu espaço no centro das comunidades. Portanto, foi desse movimento gerado a partir do Concílio Vaticano II, que nasceu o Mês da Bíblia.
A primeira celebração do Mês da Bíblia no Brasil aconteceu em 1971, em Belo Horizonte, por ocasião do cinquentenário da Arquidiocese de Belo Horizonte. E essa celebração foi levada adiante com a colaboração efetiva do Serviço de Animação Bíblica – SAB. O mês de setembro foi escolhido pelo fato de que no dia 30 de setembro a Igreja celebra São Jerônimo, grande estudioso da Bíblia e tradutor da Bíblia para o latim, a Vulgata.
Cada ano, o Mês da Bíblia é marcado por um tema que convida à leitura, ao estudo e à reflexão de um livro bíblico. Nesse ano de 2018, o Mês da Bíblia nos convida a conhecer melhor o Livro da Sabedoria e tem como tema: “Para que n’Ele nossos povos tenham vida”; e com o lema: “A Sabedoria é um espírito amigo do ser humano” (Sb 1,6).
Nesse vídeo, frei Gilvander Moreira, da CPT, das CEBs e biblista do CEBI, entrevista Luiz José Dietrich, também biblista do CEBI, que nos ajuda a compreender melhor o Livro da Sabedoria, especificamente no que está registrado nos capítulos 13, 14 e 15, que falam sobre “O Conhecimento de Deus”. Uma abordagem contundente que merece e deve ser acompanhada com atenção para que possamos nos conscientizar melhor do que seja verdadeiramente conhecer Deus, seguir Jesus de Nazaré e no que implica, de fato, esse seguimento.
*Edição de Nádia Oliveira, da Equipe de Comunicação da CPT-MG. Brasília, DF, 19/8/2018.
* Inscreva-se no You Tube, no Canal Frei Gilvander Luta pela Terra e por Direitos, no link: https://www.youtube.com/user/fgilvander, acione o sininho, receba as notificações de envio de vídeos e assista a diversos vídeos de luta por direitos sociais. Se assistir e gostar, compartilhe. Sugerimos. #FreiGilvander

Propostas de leitura para aprofundamento do livro da Sabedoria

Neste mês da bíblia, as comunidades são convidadas a celebrar e refletir o livro da Sabedoria. Tanto a CNBB quanto a Editora Paulinas com o CEBI lançaram um livro que ajuda no aprofundamento do bíblico comunitário.

Abaixo os links das duas propostas:

Livro para aprofundamento Bíblico Paulinas

Subsídios para profundamento Bíblico CNBB

A temática deste ano é “Para que n’Ele nossos povos tenham vida – A sabedoria é um espírito amigo do ser humano”. Ou seja, a Sabedoria é uma expressão da amizade de Deus por nós, seres humanos. Este livro nos ajudará no aprofundamento da Sabedoria.

Segundo o texto base que auxilia na leitura e estudo da primeira parte literária do Livro da Sabedoria (Sb 1, 1-6,21), o objetivo principal da motivação deste estudo é uma adequada compreensão do texto de forma comunitária e individual.

Por ser um livro pouco conhecido e pouco lido, além de estar ausente na Bíblia dos protestantes, o estudo individual e comunitário auxiliará na visão mais completa do livro e, por conseguinte, ajudará na melhor compreensão da sua mensagem.

Outro livro que pode ajudar no processo de estudo é do Frei Carlos Mesters e Franciso Orofino. O valor é super em conta: apenas R$ 3,80 e a linguagem é fácil, clara e objetiva. Ele traz uma explicação da deste bramo proposto para este mês da Bíblia. Abaixo o link para compra.

A Sabedoria de Deus: A ação divina em defesa da vida

 

ENCERRAMENTO DO CENTENÁRIO DOS COOPERADORES PAULINOS NO BRASIL

Ir. Helena Corazza, fsp

 

À luz da temática “Despertai o mundo com a luz do Evangelho” os Cooperadores da Família Paulina no Brasil concluíram o Centenário com uma Romaria ao Santuário de Aparecida (SP), no dia 30 de junho de 2018, com momentos de reflexão, testemunho e partilha. Ao final, foi feito o envio e bênção com a entrega do Santo Evangelho para cada um.

Uma Romaria ao Santuário Nacional de Aparecida, com 550 participantes, membros da Família Paulina, familiares, marcou o encerramento do Centenário no Cooperadores Paulinos do Brasil como Família Paulina. A programação foi organizada em conjunto por Irmãs e Cooperadores das Congregações que mantêm grupos como Paulinas, Discípulas do Divino Mestre e Pastorinhas das Províncias de São Paulo e do Sul, com uma missa, pela manhã, e uma tarde de reflexão e partilha.

A abertura do Ano Centenário – para os grupos de São Paulo – aconteceu no Santuário São Judas Tadeu, em São Paulo, nesta mesma data, presidida pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese e Vigário Episcopal para a Comunicação, Dom Devair Araújo da Fonseca.

Abertura do Centenário em São Paulo – Família Paulina

Na Província do Sul também aconteceu nas diversas regiões com Celebração Eucarística e uma em Caxias do Sul, com todos os grupos da região sul, seguida de uma programação de partilhas de experiências dos grupos, momentos de lazer e um delicioso almoço servido para todos.

Abertura do Centenário em Caxias do sul – Família Paulina.

Na celebração eucarística presidida pelo Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, os Cooperadores participaram da procissão de entrada levando símbolos do Centenário, como um banner com o lema: “Despertai o mundo com a luz do Evangelho” e o banner do Bem-aventurado Tiago Alberione, fundador da Associação. Acompanhou também as imagens dos Apóstolos Pedro e Paulo e a lamparina de 10 chamas.

Despertai o mundo com a luz do Evangelho e Bem-aventurado Pe. Tiago Alberione
São Pedro e São Paulo – Lâmpada das 10 chamas
Dom Orlando Brandes – Arcebispo de Aparecida

O Arcebispo destacou, em sua homilia, a missão evangelizadora da Família Paulina no espírito do Apóstolo Paulo, bem como a coincidência do Ano Centenário da Associação dos Cooperadores Paulinos com o Ano do Laicato para a Igreja do Brasil. Ele exaltou a importância do Apóstolo e foi enfático em afirmar: “Quem quer conhecer Jesus leia uma carta de São Paulo”. Dom Orlando exortou a vivermos o espírito do Apóstolo São Paulo hoje como “Igreja em saída”. Saída de nossas casas para visitar as pessoas e famílias como fez Jesus.

Tarde de reflexão – celebração

Organizada por uma comissão do Centenário formada por Cooperadores, Cooperadoras e Irmãs responsáveis de cada Congregação, a equipe de coordenação deu as boas-vindas aos participantes, destacando este momento de alegria, festa e celebração, neste Ano do Laicato, exortando a terem um coração ardente como o do Apóstolo Paulo. Ir. Ninfa Becker, fsp; Ir. Soeli T. Branco, sjbp; Irmã Vera M. Galvan, pddm; Ir. Elisabete Martins, ijbp). 

A coordenação do encontro ficou a cargo de Neusa Alves – “Cooperadores Paulinos para o Evangelho” (CPPE – Paulinas); Maria Ivete Ursulina Santos – “Amigos do Divino Mestre” (Discípulas); e Arnaldo Poletto – “Amigos de Jesus Bom Pastor” (Pastorinhas).

Na saudação aos participantes, as Provinciais reafirmaram o sentido da celebração de um Centenário. Irmã Maria Antonieta Bruscato, FSP, destacou o “tesouro” que são os Cooperadores na grande árvore da Família Paulina com todas as cores do mundo. Leigos com sabor de futuro, capazes de sonhar, lembrando que devemos “fazer a todos a caridade da verdade”. Irmã Marilez Furlanetto, DDM, ressaltou que Alberione se deixou tocar pela espiritualidade missionária de Paulo. Deixou-se seduzir pelo Senhor e pelo chamado que é dom do Espírito. Irmã Bertila Picelli, SJBP, representou a Irmã Maria de Fatima Piai, em viagem pelo Gabão, e transmitiu a sua saudação lembrando que celebrar 100 anos é gratificante e exortou a entrar no coração de Alberione e crescer na experiência paulina. Irmã Adriana Cortelini, SJBP, lembrou o Fundador ao dizer que a Associação começou no dia dos Apóstolos Pedro e Paulo, portadores de Cristo, que trazem muitas virtudes, o espírito pastoral. Lembrou o Ano do Laicato e as palavras do Papa Francisco: não apagar o fogo profético e o lema “Despertai o mundo com a luz do Evangelho”.

Ir. M. Antonieta Bruscato fsp, Ir. Marilez Furlanetto pddm, Ir. Adriana Cortellini ijbp, Ir. Bertila Picelli ijbp

A geografia dos cooperadores no Brasil

A coordenação ficou por conta de cooperadores da comissão do Centenário que também apresentou os grupos de Cooperadores existentes e presentes no evento, resultando presenças em 20 estados, 35 cidades, num total de 671 Cooperadores com e em caminho para fazer a Promessa.

O grupo ligado às Paulinas intitula-se  “Cooperadores Paulinos para o Evangelho”. Iniciou sua organização em 2007 e hoje são cerca 264, em 17 grupos, sendo que 98 fizeram a Promessa.

Encontro nacional cooperadores paulinos para o Evangelho

As Discípulas do Divino Mestre iniciaram a organização entre os anos de 1996 e 2002, com o Boletim intitulado “Amigos do Divino Mestre”, direcionado aos Cooperadores da missão e, também, aos familiares das Irmãs e jovens. Em 2013, respondendo ao apelo do 8º Capítulo Geral, criou-se uma Comissão de Irmãs para retomar o Estatuto da Associação e elaborar um projeto de constituição de grupos de CP-ADM e formação de seus membros em vista da missão. Assim foi feito e atualmente estão organizados em sete grupos, hoje os Cooperadores são 80.

Na Província Jesus Bom Pastor com sede em Caxias do Sul (RS), as Irmãs Pastorinhas começaram a se reunir nos anos de 1998 a 2000 nas festas da Congregação. Nos anos de 2003 a 2005, após uma formação carismática com todas as Irmãs da Província, as Irmãs assumiram com mais clareza, entendendo o valor dos leigos e leigas que partilham o mesmo Carisma. Hoje são 15 grupos, dos quais um é formado por jovens, e os Cooperadores somam com promessa 167. Dentre eles, cerca de 50 estão próximos ao caminho para a Promessa.  Já as Pastorinhas de São Paulo iniciaram a organização em 2005 com os “Amigos de Jesus Bom Pastor” e atualmente são 150 organizados em nove grupos.

Momento de testemunhos

A programação dedicou um tempo para ouvir testemunhos de dois Cooperadores por Província, com a pergunta: o que significa para mim ser um Cooperador paulino hoje? Talvez se possa sintetizar os depoimentos dos que testemunharam, em alguns traços que dizem respeito à vocação do cristão leigo:

– um chamado e encantamento pela espiritualidade paulina, com os matizes do carisma da comunicação, do serviço pastoral e do serviço à liturgia;

– a formação que os ajuda na vivência pessoal e no serviço à comunidade e à sociedade, sobretudo a Palavra de Deus meditada e pregada;

– o desafio de pensar o apostolado com o espírito de São Paulo onde quer que estejamos;

– o desafio de ser sal e luz do mundo na missão;

– o testemunho de alegria percebido nas Irmãs.

– a graça de viver este Primeiro Centenário. Quem foi a Roma sentiu muito de perto a experiência de universalidade.

– a importância da união e conhecimento dos cooperadores das outras Províncias, algo reforçado também pela Convenção em Roma e que se concretizou durante o Ano Centenário, especialmente  neste encontro.

A animação do encontro da tarde ficou a cargo do Grupo Chamas das irmãs Paulinas, jovens cooperadores paulinos e membros da Família Paulina.

O Centenário na experiência dos Cooperadores Paulinos

 Esta reportagem entrevistou alguns Cooperadores presentes no evento, perguntando o que significa viver este Centenário. Para Agenor Sousa, de São Luís (MA), CPPE desde 2007, o que lhe “tocou o coração foi perceber que a ideia de Alberione, há 100 anos, sobre a importância do leigo na Igreja, se confirmou hoje nas palavras de Dom Orlando, quando falou do laicato”. Para a amiga de Jesus Bom Pastor, Sirley Diniz Boza, de Campo Grande (MS), Cooperadora desde o ano 2000, o Ano Centenário “é uma graça, e a certeza de que está fazendo história junto à Família Paulina”. Ela teve a graça de participar do Congresso de Roma.

Para Terezinha Donato, do Rio de Janeiro (RJ), amiga do Divino Mestre desde 1997, “viver este Centenário é confirmar a fé na missão e bênção de Jesus Mestre; a caminho, agradeço”. A CPPE desde 2012, Maria Lúcia Gomes Silva, de Osasco (SP), afirma que viver este Centenário é “uma caminhada de luz que tem iluminado o trabalho de evangelização na luz do Espírito Santo. Ser Cooperadora é ser luz, levar a luz”. O amigo de Jesus Bom Pastor, José Ronaldo Macário, de Tupanatinga (PE), afirma: “Estou muito feliz com o Centenário dos Cooperadores Paulinos, onde estivemos juntos, nós povo de vários lugares, na missão de evangelizar. Tudo isso ajuda a sermos melhores e a amar mais o próximo. A partir do momento em que comecei a participar desta Associação, senti o apelo de ajudar a comunidade a viver melhor o Evangelho, promovendo encontros com o conteúdo preparado para o Centenário, reunindo as famílias da comunidade para que o Evangelho seja conhecido, amado e vivido por nossos vizinhos e amigos que até então não tínhamos o exercício da Leitura Orante nesta localidade”.

Segundo o Amigo de Jesus Bom Pastor, Vitalino Martins, de Bodoquena (MS), Cooperador desde 2010, o Centenário “é uma oportunidade de viver o carisma, conhecer os lugares do Fundador, intensificar a cooperação, vivendo em contínua conversão”. Ele participou do Congresso Internacional em Roma. O casal, Amigos do Divino Mestre, Janer e Rosenira Samuel, de Manaus (AM), Cooperadores Amigos do Divino Mestre desde 2014, vive com intensidade os encontros de formação e espiritualidade e, para eles,  viver o Centenário “é motivo de júbilo e emoção por termos sido convidados a participar da missa de Aparecida no presbitério, foi um momento ímpar”. Ficaram muito tocados com a reflexão de Dom Orlando sobre a vida e atitudes de Paulo. Por sua vez, o amigo de Jesus Bom Pastor, Arnaldo Poletto, diz que viver o Centenário “é revisitar o passado, rever as raízes para produzir frutos hoje na perspectiva do Evangelho da justiça e da solidariedade, como missão”.

Segundo André L. Kawahala,  de São Paulo (SP), CPPE desde 2007, é “entender mais qual a missão do leigo no carisma paulino, na Igreja e na sociedade; na missão procuro compreender e comunicar a face de Jesus Mestre para as pessoas e, sobretudo, para a família”.  A amiga de Jesus Bom Pastor,  de Tupanatinga (PE), Maria Helena Cursino de Melo diz: “É muito importante para mim a espiritualidade que me ajuda a partilhar, aprender a me colocar no lugar do outro e fortalece a minha vida. Às pessoas que fazem parte  dos Cooperadores Paulinos recomendo que participem sempre dos encontros do grupo, tenham presente a mensagem de Alberione, baseada nos escritos paulinos, um meio para alcançarmos os objetivos de Paulo: chegar aos irmãos mais afastados”.

Despertai o mundo com a luz do Evangelho!

Pe. Luís Miguel Duarte, ssp

O tema do Ano Centenário foi abordado pelo provincial dos Paulinos, padre Luís Miguel Duarte,  em três tópicos: as origens, o patrono Paulo Apóstolo e propostas para os Cooperadores Paulinos. Padre Luís Miguel começou dizendo que Alberione tinha um “infreável ardor apostólico” e, desde a passagem do século,  sentiu que precisava se preparar para fazer alguma coisa. E o que o preocupava era a “boa imprensa”, contrapondo-se à “má imprensa”, entendendo-se imprensa por todas as publicações da época.  O provincial fez um percurso histórico trazendo fragmentos dos escritos de Alberione a respeito de como pensou os Cooperadores e, segundo ele, pode-se afirmar que “nasceram com a Pia Sociedade de São Paulo”.  Lembrou o tipo de cooperação como orações, ofertas e obras.

Sobre o Patrono, pe. Luís Miguel lembrou que São Paulo cultivava grande amor por Jesus Cristo e citou diversos textos de suas cartas, dentre eles Gl 2,20, que, segundo pesquisas do padre Roatta, é a mais citada por Alberione e se constitui o fundamento. O segundo ponto é que Paulo é imbuído de imenso zelo apostólico: “Faço tudo pelo evangelho” (1Cor 9,23), sofro pelo Evangelho. E por fim lembrou a ternura do Apóstolo “…desse modo, querendo-vos bem,  quisemos vos entregar  não somente o Evangelho de Deus, mas também nossas vidas, porquanto vos tornastes amados a nós” (Ts 2,8).

O terceiro ponto abordado foram propostas, lembrando que em 1920 o Fundador falava de ter uma casa própria e os Cooperadores ajudaram financeiramente, recolhendo ofertas para isso. Considerou que o Centenário no Ano do Laicato celebra uma presença organizada. E no item o que se espera dos Cooperadores foi elencando alguns tópicos: fazer crescer em nós o amor de Cristo; contato diário com a Palavra de Deus; aumento do conhecimento do Apóstolo – imbuir-se do amor por todos os povos (1Cor 9,16); evangelizar – tornar Jesus Cristo conhecido pela palavra oral, escrita, de todas as formas, pelas redes sociais; a credibilidade – “Façam a todos a caridade da verdade”; testemunho de vida cristã onde estivermos, na universidade, no tempo livre, no trabalho.

O palestrante lembrou que, em 1954, o Fundador assim definiu os Cooperadores: “Pessoas que compreendem a situação atual e a eficácia dos meios de comunicação”. Daí decorre que os Cooperadores são os primeiros promotores vocacionais, por isso, têm como missão promover vocações para a Família Paulina. E concluiu sua fala com essa afirmação: “Revolucionai o mundo com a luz do Evangelho!”.

Bênção e envio

Coroando o Centenário, os Paulinos presentes, Padre Luís Miguel Duarte, Padre Antonio Silva e Padre José Carlos invocaram as bênçãos de Deus sobre os Cooperadores e fizeram o envio. Num gesto simbólico, as Irmãs Provinciais entregaram a cada Cooperador e Cooperadora um exemplar do Santo Evangelho, o Cristo Palavra a ser vivido e anunciado na vida e missão.

 

COOPERADORAS E COOPERADORES PAULINOS

 DESPERTAI MUNDO COM A LUZ DO EVANGELHO HOJE!

O Apostolado Litúrgico estará na Maior Feira Católica do Nordeste em Caruaru

O Apostolado Litúrgico de Recife estará presente na Maior Feira Católica de produtos religiosos do Nordeste. Esta feira acontecerá na cidade de Caruaru, PE.

Buscando atender uma demanda dos paroquianos nordestinos, a Maior Feira Católica do Nordeste terá sua primeira edição de 24 a 26 de agosto, no Polo Caruaru, no Agreste pernambucano. A feira contará com a participação de 115 expositores, que irão oferecer produtos e serviços para o funcionamento e a manutenção das igrejas, mas também literatura religiosa, workshops e apresentações para o público geral.

 

Apesar do grande volume de católicos no Nordeste do país, os eclesiásticos da região tinham poucas opções para ter contato com fornecedores e prestadores de serviço necessários às suas paróquias, já que muitos destes estão localizados no sul e sudeste do país. Ainda com a distância, esse público ocupa uma maioria nas transações negociais dos produtores. Com o objetivo de facilitar esse diálogo e o comércio a feira foi trazida para Pernambuco, esperando receber padres, bispos, representantes de igrejas de diversos estados e o público interessado. Workshops e palestras com temas variados, como marketing digital, dízimo e a relação com os fiéis, vão acontecer em espaço no próprio pavilhão. A feira receberá a presença de grandes nomes no cenário católico atual, como o padre Luis Erlin, autor de diversos livros sobre aspectos da vida católica e o missionário Ivanildo Silva, que realizará uma apresentação de stand-up comedy com temática adaptada ao evento.

 

Dentro do espaço de 5 mil metros quadrados, poderão ser adquiridos artigos diferenciados para o exercício da crença católica, como o incenso utilizado pelo Vaticano que é produzido com ingredientes dos cinco continentes, buscando representar a união dos povos. Também estarão presentes grandes editoras e produtores de artigos pessoais utilizados pelos fiéis.

 

O credenciamento do evento pode ser feito online através do site www.santafecatolica.com.br ou presencialmente durante os dias do evento. A entrada custa R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível. Parte do valor arrecadado será utilizado na obra de restauração da Catedral da Diocese de Caruaru. Já os alimentos serão destinados a dois projetos sociais que auxiliam cerca de 400 pessoas em situação de necessidade da região de Caruaru.

 

Serviço  Maior Feira Católica do nordeste 24, 25 e 26 de agosto (das 9h às 20h) Polo Caruaru – Rodovia BR 104, km 62, Caruaru  Ingressos R$ 5 + 1kg de alimento não perecível

Documento preparatório para Sínodo da Amazônia: “novos caminhos para a igreja e para uma ecologia integral”

O Documento Preparatório para o Sínodo da Amazônia, que será realizado em outubro de 2019, é composto por um texto-base, que oferece uma análise da conjuntura atual da Amazônia e aponta percursos e novos caminhos para a Igreja a serviço da vida nesse bioma.

O texto, cujo tema é “Amazônia: novos caminhos para a igreja e para uma ecologia integral”, está dividido em três partes, segundo o método ver, discernir e agir. Ao final do material, um questionário que deverá ser aplicado nas bases amazônicas da Igreja católica estão algumas questões que permitem um diálogo e uma progressiva aproximação da realidade para que as populações da Amazônia sejam ouvidas.

Sínodo para a Amazônia

O Sínodo para Amazônia foi uma resposta do Papa Francisco à realidade da Pan-Amazônia. De acordo com o Pontífice, “ o objetivo principal desta convocação é identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta. Que os novos Santos intercedam por este evento eclesial para que, no respeito da beleza da Criação, todos os povos da terra louvem a Deus, Senhor do universo, e por Ele iluminados, percorram caminhos de justiça e de paz”.

Acesse o documento na íntegra

Galeria:

Jubileu de Ouro de Consagração Religiosa

No último sábado, dia 04 de agosto, a ir. Assunta F., ir. Celina Araújo, ir. Celina Simonetti, ir. Gabriela Sperandio, ir. Imaculada Coutinho, ir. Vergínia Zanardo celebraram 50 anos de vida religiosa. As Irmãs Pias Discípulas, Família Paulina e amigos e amigas se reuniram na Paróquia Santo Antônio do Caxingui nesta linda celebração da vida presidida por Dom Angélico Sândalo Bernardino e concelebrada pelos Padres Paulinos.

Com muita alegria, foi um momento de ação de graças que trouxe novo impulso para a vocação de cada pessoa presente.

Dom Angélico, em sua homilia, enfatizou a necessidade de sermos mensageiras do amor de Deus ao mundo, tão carente da vivência deste grande mandamento dado a nós por Jesus para gerar vida. “E nós podemos afirmar: se chegamos felizes a esta etapa de nosso caminhar, foi justamente porque, muito além das dificuldades, vimos sempre um raio de luz levando-nos para o centro, onde se encontra o sinal do cristão, o Amor”, animou o bispo emérito.

Com o testemunho carismático de Madre Escolástica, Beato Pe. Tiago Alberione e Timóteo Giaccardo, o caminho é iluminado na missão confiada: “Viver e dar ao mundo Jesus Mestre e Pastor, Caminho, Verdade e Vida, até o dia em que, com as lâmpadas acessas pudermos ouvir a voz do esposo: “Vem, amada minha, recebe a coroa que com tua vida preparaste”. A resposta de cada Discípula está impregnada da experiência de Escolástica: “Senhor, só tu e basta!”. Estas seis irmãs que celebram 50 anos de vida religiosa são um incentivo aos jovens de hoje. São uma voz que grita: “Não tenham medo de dizer sim e seguir pelo caminho do Mestre Jesus, na radicalidade de vida, no Evangelho”. “Onde há consagradas e consagrados, há sempre alegria!”, Papa Francisco.

Parabéns às jubilandas.

Dia da Aspirante Pia Discípula

Hoje, 12 de julho 2018, celebramos o aniversário de nascimento de Madre Escolástica Rivata, primeira Pia Discípula do Divino Mestre. Também recordamos com carinho de todas as jovens que estão na primeira etapa de formação na vida religiosa segundo o carisma da Pia Discípula: as jovens Milena, Yeda, Karine, Carine, Dieine e Amira que estão desde fevereiro deste ano na Casa Rainha dos Apóstolos junto com ir. Dilza Pacheco e comunidade dando os primeiros passos.

Neste dia, a ir. Micaela Monette, superiora geral, ajuda a todas as irmãs Pias Discípulas neste amadurecimento quanto a reflexão sobre as gerações. O texto partilhamos aqui também porque é de luz para o cenário vocacional da Igreja também. Abaixo o texto da circular:

“Queridas irmãs, o mês de julho traz consigo uma bela recorrência que nos une como Congregação: a celebração do aniversário de Madre Escolástica Rivata, a primeira Pia Discípula do Divino Mestre. Dia 12 de julho de 1897 vem à luz Úrsula e, à luz de sua vida, da fé batismal e da sua vocação religiosa desejo continuar a reflexão sobre os jovens e sobre as novas gerações na nossa Congregação.

Olho para Madre Escolástica que, em breves traços autobiográficos, nos conta a sua infância, adolescência e juventude, até maturar, no discernimento vocacional, a decisão resoluta: “Senhor, só tu e basta”. Uma decisão que permanece firme, na fidelidade, ao longo de toda a sua vida: nas responsabilidades assumidas por obediência, na humilhação e na provação na simplicidade da vida cotidiana. Cada dia na saúde e na doença, na boa e na má sorte. E me pergunto: como esta jovem chegou a dar o passo com tanta clareza e firmeza interior? O que pode dizer a nós e às novas gerações? Como a vida de um pequeno lugarejo – Guarene –, de simples oportunidades de futuro – família, escola, comunidade paroquial, trabalho e amizades – a formaram a dar respostas de sentido tão comprometedoras? A responsabilidade, como em italiano a própria palavra diz (respons-abilità), (respons-habilidade), é a habilidade para responder – ou seja, a dar razão – de si, daquilo que se deseja, se pensa, se escolhe, se assume cada dia, a partir dos pequenos detalhes da vida. Dar razão, com sinceridade e humildade: a Deus que é o fim da existência; a si mesmos, por Ele amados e criados; aos outros como comunidade, solidária e interligada. O que e quem formaram a jovem Úrsula à responsabilidade e como todas nós, herdeiras da sua experiência carismática segundo o itinerário traçado pelo nosso Fundador, o Bem-aventurado padre Tiago Alberione, vivemos e nos formamos reciprocamente à responsabilidade própria da vida consagrada paulina, hoje?

Olho para Madre Escolástica como formadora de gerações paulinas de Pias Discípulas, mas sobretudo como mestra de vida religiosa. Formadora, antes de tudo porque viveu em contínua formação, até chegar à plena maturidade em Cristo. Até identificar-se com o ideal de São Paulo: Não sou mais eu que vivo é Cristo que vive em mim. Esta vida que vivo na carne eu a vivo na fé Daquele que me amou e se entregou por mim (cf. Gl 2,20).

Escolhi entre a correspondência de Madre Escolástica alguns escritos endereçados a noviças ou professas de votos temporários(ver no final do textos estes textos). Escritos afetuosos e confidenciais dos quais emerge o seu estilo de guia espiritual, que orienta todas a ser discípulas de Jesus Mestre, sem autoreferencialidade ou narcisismos, sem criar dependências afetivas perigosas. “Só Jesus seja o teu Mestre e o teu único amor. Dê-lhe tudo sem temor e sem restrições porque Ele ama sem medida com infinita misericórdia”.

Releiamos pessoalmente e comunitariamente estes escritos. É a ocasião para reconhecer, interpretar e escolher (cf. EG 51) a atualidade do percurso formativo e vocacional traçado. Nenhuma comunidade chegue depressa demais a conclusões redutivas e simplicistas, dizendo: “Mas, os tempos mudaram…; os jovens de hoje são diferentes, etc.”. Estas definições apressadas poderiam revelar medos, preguiças ou superficialidade que nos habitam e que, em um sincero exame de consciência, é necessário entregar ao Senhor com coragem e confiança, repetindo com Madre Escolástica: “Senhor, só tu e basta”.

Pela intercessão da nossa primeira Madre peçamos a Jesus Mestre que nos atraia mais intimamente a Si para responder à vocação recebida com coração indiviso. É um dom para todas nós, para as novas gerações e sobretudo para as quinze juniores que no próximo 30 de agosto iniciarão, em Roma, a preparação mais intensa à Profissão Perpétua. O exemplo de Madre Escolástica nos ajude a manter a simplicidade e a novidade da centralidade de Jesus Caminho, Verdade e Vida, o atrativo da nossa espiritualidade e a força da missão, a mostrar a beleza do seguimento de Cristo e irradiar alegria e esperança.

Em comunhão, Ir. M. Micaela Monetti, superiora geral”

Veja este convite das aspirantes para você que sente o chamado de Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida. Clique aqui!

 

100 anos dos Cooperadores Paulinos em Aparecida, SP

Na celebração conclusiva do Centenário dos cooperadores Paulinos, o Santuário Nacional de Nossa Aparecida acolheu os homens e mulheres que fazem parte desta grande associação da Família Paulina nos dias 27 a 30 de junho de 2018.

A Associação dos Cooperadores Paulinos são leigos e leigas que se propõe a viver a espiritualidade paulina e assumem, de acordo com a congregação que o grupo está ligado, o carisma específico daquele instituto. Os Cooperadores ligados às Paulinas, Pastorinhas e Pias Discípulas de diversos estados do Brasil estavam presentes neste primeiro encontro nacional e também celebração conclusiva do Centenário.

Os dois primeiros dias cada grupo se reuniu, até mesmo para se conhecerem. Já no sábado, 30/06, estava previsto um encontrão dos três grupos de Cooperadores. Eram mais de 200 pessoas. O dia iniciou com a missa no Santuário, presidida por Dom Orlando Brandes que animou a assembleia a assumir o seu discipulado e partir em missão para as periferias existenciais. Nesta celebração, também o grupo dos Cursilistas estava presente. Foi uma grande celebração da vocação leiga na Igreja.

Na parte da tarde, o encontro foi específico: foi feita apresentações dos núcleos e depois, o Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp, provincial dos Padres e Irmãos Paulinos, trouxe um histórico da criação e necessidade dos Cooperadores Paulinos para a Família Paulina. como foi fundamental, nos primeiros tempos, esta interação e compromisso dos Cooperadores para a missão de viver e anunciar ao mundo Jesus Mestre e Pastor, Caminho, Verdade e Vida. O encontro terminou com a apresentação de um vídeo com as fotos do 1° Encontro Internacional dos Cooperadores Paulinos no final de maio deste ano, que alguns dos cooperadores brasileiros participou.

Bendito seja Deus pela vocação dos Cooperadores Paulinos na vida da Igreja e da Família Paulina. O tema do centenário dos Cooperadores Paulinos era DESPERTAI O MUNDO COM A LUZ DO EVANGELHO. O tema  é muito atual e denso de significado. Que neste novo iniciar de novo centenário, os Cooperadores Paulinos possam despertar o mundo com a luz do Evangelho, para atender ao apelo da Igreja que recomenda uma nova evangelização para a transmissão da fé para o mundo envelhecido, adormecido e  que precisa ser despertado, renovado.


 

Hino dos 100 anos dos Cooperadores Paulinos para o Evangelho
Letra e Música: Nelci Bedin e Roseli Adami dos Santos

Tema: “Despertai o mundo com a Luz do Evangelho”

 G
Graça e Paz em Cristo Jesus
D7                      G
Graça e Paz em Cristo Jesus!
G7              C
Despertai o mundo com a LUZ,
D7                   G
com a LUZ do Evangelho!

G                                                 D7
1 – O mundo e toda a história da humanidade,
                                                         G
são o grande campo do amor de Deus!
    G                         G7                   C
A nossa vida é conduzida por este amor
      G             D7                     G
Que nos recria e envia em missão!
                      G                                                   D7
– Movido pelo Espírito, Alberione deu ‘a Igreja!,
                                                     G
Novo jeito de anunciar, nova comunicaçao.
         G                         G7              C
Viver em união, da oração para a ação
    G                         D7                 G
Pra ser Luz, com a Luz do Evangelho.

 G
Graça e Paz em Cristo Jesus
D7                      G
Graça e Paz em Cristo Jesus!
G7              C
Despertai o mundo com a LUZ,
D7                   G
com a LUZ do Evangelho!

G                                                D7
2 – Jesus é o caminho, a Verdade e a Vida;
G
O centro: a Palavra e a Eucaristia.
G                          G7             C
Ele é; a Luz que ilumina a toda gente,
G                    D7                   G
E nos chama a viver em conversão!

G                                                         D7
– Maria é nossa Mãe, a Rainha dos Apóstolos,
G
Sob seu olhar caminhamos confiantes.
G                          G7               C
Como Mestra nos indica o seu Filho
G                                  D7              G
E ensina-nos a dá-lo para o mundo…!

 G
Graça e Paz em Cristo Jesus
D7                      G
Graça e Paz em Cristo Jesus!
G7              C
Despertai o mundo com a LUZ,
D7                   G
com a LUZ do Evangelho!

G                                             D7
3 – Paulo é o Apóstolo de toda as gentes,
G
É o grande modelo da vida Paulina
G                        G7                   C
Lançar-se para frente, rumo ‘a meta!
G                     D7                 G
“Até que Cristo se forme em nós!
G                                            D7
– Cooperadores Paulinos aqui celebram,
G
A sua vocação na Família Paulina;
G                  G7                  C
Em casa, na Igreja e na sociedade;
G7                    D7                   G
Sendo LUZ, com a Luz do Evangelho!       Refrão

G                                                 D7
4 – Estamos ao pé de uma grande montanha,
G
O nosso horizonte é o mundo inteiro;
G                          G7                    C
No nosso coração, toda a humanidade!
G                       D7                 G
Sedenta da Luz, e do Amor de Deus.

Fonte de Inspiração:    Doc CNBB – “Cristãos leigos e leigas na Ig. e na sociedade” – 105
Lv. Cristo vive em mim (Giuseppe Forlai) – Paulinas e Paulus.

 

32ª SEMANA DE LITURGIA – 15 a 19 | OUT | 2018

Liturgia no Brasil:
Realizações, retrocessos e sinais de esperança à luz da Conferência de Medellín

 

Celebrando os 50 anos da Conferência de Medellín (1968-2018) vivemos um momento oportuno de retomar suas conclusões e, a partir delas, buscar iluminar a realidade litúrgica brasileira atual. Muitas realizações constatamos desde Medellín: a aproximação entre liturgia e compromisso com a transformação social; a ampliação dos ministérios leigos; passos importantes no que tange à inculturação da liturgia tais como o Ofício Divino das Comunidades e o Hinário Litúrgico da CNBB, entre outras. No entanto, também constatamos no cenário sócio-eclesial resistências à proposta do papa Francisco – de uma “Igreja em saída”, “pobre com os pobres”, aberta ao diálogo… – e à renovação litúrgica proposta pelo Concílio Vaticano II. Diante disso, urge buscar em Medellín as luzes capazes de reacender a esperança na construção de uma Igreja profética, sinal fecundo e perene do Reino de Deus.

DATA

15 a 19 de outubro de 2018 (segunda a sexta-feira)
Início: 15/10 (segunda-feira) às 14h
Término: 19/10 (sexta-feira) às 12h
*Exige-se permanência integral no evento devido a sua metodologia.
LOCAL
Centro Pastoral Santa Fé – Espaço Anhanguera, São Paulo-SP
Rodovia Anhanguera km 25,5 Perus – São Paulo, SP  |  Tel: (11) 3916-6200/3911-0192
Caixa Postal 46827 Perus – CEP 05276-000 – São Paulo, SP
Como chegar: http://www.centrosantafe.org.br/last/como-chegar/

 

Para baixar o folheto, entre no link: https://revistadeliturgia.com.br/informacoes-sobre-a-32a-semana-de-liturgia-15-a-19-out-2018/